terça-feira, 8 de setembro de 2009

Tratar mal o que é Portugues, o que é Portugal!

Actualmente em Portugal impera a era da modernidade, da tecnologia, o dito avançar, muito utilizado pelo nosso primeiro ministro!
Mas será que tem avanço? quem tem crescimento? Talvez sim, mas nem sempre o avançar e o crescer são positivos, e muitas das vezes o avancar mal levanos á beira do precipício!
E tratar do Futuro nao respeitando o passado, é avancar mal!

A historia repete-se! Aprendemos com os erros!

São duas frases já feitas e tao utilizadas por nos! Mas porque não meter em pratica?


Valorizar a historia que temos, é uma mais valia!

Há uns dias falava com uma criança de 13 anos e aproveitei para fazer umas perguntas. Nunca tinha ido aos Jerónimos, não sabe quem é Rei Dom Manuel, não dá valor a historia de uma Nação com 900 anos! Mas de quem é a culpa?
Dos pais? Também, Mas culpo essencialmente o estado Português pelo mau estado do que é Português!


Entrega-se aos alunos Magalhães como se dá pastilhas elásticas e não se entrega aos alunos os monumentos e a historia que é pertença dos mesmos!

Fico irritado quando pergunto a uma criança se já foi a Sé de Lisboa e responde, o que é isso?

Mas entendo, se eu perguntar ao "Estado Português" se já la foi, a resposta só pode ser não! porque se a resposta for contraria é ainda pior! O estado deste monumento é um exemplo da vergonha Nacional!

Se formos a Espanha, há orgulho nos museus, na historia, nas tradições, nos toiros, no flamenco! Na Republica Portuguesa não!

Há actualmente um vazio de história na maioria dos Portugueses! A maioria dos jovens da minha idade, não tem noção do que já fomos! isso preocupa-me, será que uma pessoa que nunca teve noção do que fomos, pode vir a ter noção do que podemos ser?

Será que uma Republica que não consegue motivar os Portugueses a terem orgulho no que é nosso, nas nossas raízes na nossa historia, conseguem motivar os estrangeiros? Não, ou até talvez sim, já vi estrangeiros a darem mais valor a monumentos do que nos próprios, talvez pela educação e formação que receberam!

Um Presidente da Republica que supostamente é a mais alta figura deste Mau Estado, não consegue ter uma intervenção relevante na motivação das raízes de um Pais, será que não é mais uma razão para dizer EU QUERO UM REI?

Esta é mais uma razão para eu dizer que sou Monárquico, pode-se achar uma razão pouco relevante actualmente, mas é mais uma, muito importante, nos só podemos avançar olhando para um passado, principalmente Portugal, que tem uma historia vasta e rica de bons acontecimentos cá e no mundo!

Só o Rei consegue manter viva essas raízes de um Povo, porque Ele faz parte dessa raiz, ele mantém viva a chama da historia. Só assim se pode dizer que é o representante de todos os Portugueses!

A republica faz questão de não citar a historia ou quando o faz, faz de maneira suja! Convém falar do Futuro de maneira a atirar areia para os olhos e não dar aos Portugueses a oportunidade de ver o passado e avaliar o quanto já fomos importantes no mundo com um Portugal Monárquico que fez Historia!

Por estes motivos e muitos mais, digo, EU QUERO UM REI!


Duarte Seabra Calado

7 comentários:

Pete L M disse...

Firmes e conscientes do passado do nosso país, de Portugal, para com inteligência nos reerguermos no futuro! Óptimo texto..

Cumprimentos

Duarte Petinga disse...

Duarte mais um excelente post! Parabéns!...No seguimento do teu excelente post, vou transcrever uma mensagem enviada a um grande senhor fadista natural da Lezíria Ribatejana e que penso vir no seguimento do que aqui se trata e concluir com uma reflexão sobre o nosso património.

Olá António!
Eu também prezo a sua pessoa e a sua amizade e não sou nacionalista porque infelizmente essa ideal esta manchado neste país, contudo todos os monárquicos são nacionalistas ou patriotas como lhe queira chamar...E assim acredito plenamente no que me diz, que hoje não existe esquerda ou direita, porque ate a ideologia dos partidos vai-se perdendo com o tempo..o meu partido hoje por ser monárquico nem passa pelo PPM por muito respeito a quem criou (Ribeiro Telles) não a quem agora o dirige, por ter um pacto com a própria republica...Por isso sou apartidário e a meu ver se tiver partido o mesmo chama-se Portugal e a nossa missão fazer renascer o espírito e os os valores que os portugueses à muito perderam para que Portugal renasça no seu esplendor. Todos deviam ser tal como nós e louvar sempre Portugal e até mais o António tem uma vantagem, com a sua arte,o seu fado tem a "arma" perfeita para fazer passar essa mensagem aos portugueses e fazer ressurgir neles o que há muito perderam!

E para concluir no respeitante ao nosso património, por mais que a Europa nos tente pressionar uniformizar assim como faz os restantes membros da UE, é o nosso património que aloja e representa a historia, a cultura e identidade do nosso povo, enquanto estado soberano. Cabe a todos nós de alguma forma a sua preservação e conservação dele para as gerações vindouras e cabe também a nós a consciencialização pelo respeito pela integridade dos mesmos, contra certos atentados que por vezes se praticam..Por isso já sabe respeitar o património é respeitar nos a nós mesmos, pois foi ele a razão de sermos o que somos hoje! Veneremos com paixão o nosso património e tenhamos sempre orgulho nele e lembre-mo nos que se o machucarmos, machuca-no nos a nós próprios enquanto Nação!


Bem haja!

Saudações Monárquicas
DP

Maria Menezes disse...

Bom texto Du! Antigamente perguntavamos quem foi o 1º PR de Portugal e ninguém sabia, mas se perguntássemos quem foi o 1º Rei de Portugal toda a gente sabia. Portanto estudava-se mais História de Portugal do que agora até porque foi trocada nas escolas pela História Universal...

Isto está mesmo a precisar duma vassourada em todos os níveis.

Que tudo isto ainda nos venha a dar mais ânimo para trabalharmos para a Causa e que venha o Rei!

Anónimo disse...

Peço desculpa, mas como monárquico, não posso deixar passar em branco uma frase do seu excelente texto.
É que existem muitos monárquicos que o são sem gostarem, ou mesmo detestando, as corridas de touros.
Fazem um péssimo serviço à causa ao associarem-na com as touradas.
Viva o Rei.
Viva a Monarquia.
Abaixo as touradas!

Miguel Bandeira

Aquilino Fidalgo disse...

Caro Duarte, o seu artigo é tão interesante e pertinente que custa comenta-lo.
O estado de perda de valores, tanto culturais como sociais, conduz-nos inevitalvelmente a depositar a esperança em homens como voçê, que nos fazem perceber o quão gloriso foi o nosso passado e o quão promissor pode ser o nosso futuro. Assim haja coragem para colocar os interesses da Nação acima de quaisquer outros.
Um abraço e parabéns

Aquilino Fidalgo
Paço dos Negros - Almeirim
Ribatejo

HOMOSAPIENS disse...

Eu adoro tudo que é Portugal:

Sua história, sua geografia, suas artes, etc...

Não existe um pedaço de terra nem um monumento de Portugal que eu não conheça, tudo isto graças ao meu patriotismo mas sobretudo pela honra de ter nascido nesta minha nação que tanto deu ao mundo, dessa minha vontade de querer sempre saber mais sobre este canto da Europa, de saber o quanto foi dificil aos nossos antepassados de conquistar a liberdade e independencia, e ainda mais difícil de conquistar o desconhecido mar.
Por tudo isto e graças a um avô paciente que me fez amar esta terra Lusitana.

Cumprimentos de um monarquico de coração.

Mário Guinapo disse...

Só não vê quem não quer,este "desaportuguesamento"dos Portugueses tem como principal objectivo nos tornar um país oco e vazio,sem esperança no futuro e que cada vez mais vejamos nos nossos vizinhos geográficos a "salvação".
Um P.M que insiste num TGV que em nada beneficiará Portugal,ao contrário tornará a Espanha bem mais presente do lado de cá,um prémio Nobel que vomita veneno contra tudo o que é nacional e canta loas ao país vizinho,enfim o processo está em marcha como e quando acabará isso agora...